HOME PAGE
ROSTO DE TA-KUSH Maidstone é uma cidade situada 51 km a sudeste de Londres. A estrela da coleção egípcia do museu local é a múmia chamada Ta-Kush, cujo nome significa Senhora Kushita. Ela foi trazida para a Inglaterra na década de 1820. Havia um caixão interno e outro externo, originalmente, mas apenas o caixão de madeira interior chegou ao museu no século XIX. Os hieróglifos de seu ataúde dizem que ela é A Senhora da Casa, Ta-Kush, Filha do Porteiro de Osíris, Pa-Muta; sua mãe Senhora da Casa, Shy. Em 1843 ela foi desembrulhada e estudada por Samuel Birch, do Museu Britânico, e por Hugh Welch Diamond, um médico local. Este último deu a raridade de presente para seu primo Charles, cujas coleções formaram o Museu Charles em Maidstone, instituição que veio a se transformar no Museu Maidstone após a morte de Charles.


MÚMIA DE TA-KUSH A múmia é de uma mulher que viveu em Tebas ou em seus arredores entre o final da XXV dinastia (c. 770 a 657 a.C.) e o início da XXVI dinastia (664 a 525 a.C.). Em novembro de 2016 passou por uma tomografia computadorizada e foi realizada sua reconstituição facial na tentativa de descobrir como ela se parecia em vida. Deve ter falecido com cerca de 25 anos de idade, talvez um pouco mais. Os dentes estavam desgastados, haviam perdido parte do esmalte, apresentavam cáries e a mandíbula apresentava abcessos. Os dentes do siso já haviam irrompido totalmente. Outra descoberta é a de que existe uma fratura em cunha em uma de suas vértebras, tipo de contusão queATAÚDE DE TA-KUSH aparece em pacientes que sofrem um impacto de cima para baixo como, por exemplo, uma queda na posição vertical. Porém, o ferimento mostra sinais de cura, indicando que Ta-Kush teria convivido com tal lesão. Fotos do rosto, da múmia e do ataúde: Paul Dixon.