Descobertas Arqueológicas

ESCRITA CUNEIFORME Realizando escavações em Qantir, 120 quilômetros ao norte do Cairo, em setembro de 2003, pesquisadores alemães encontraram um pequeno pedaço de barro com apenas 5 por 5 centímetros de lado mas de grande importância arqueológica. Trata-se de um trecho de correspondência trocada entre o rei dos hititas, Hattousil III, e Ramsés II (c. 1290 a 1224 a.C.) e seu achado naquele local parece confirmar a localização da capital daquele faraó, a cidade de Pi-Ramsés, no delta do Nilo. A peça apresenta uma coloração vermelho escura na superfície e vermelho-laranja em seu interior. Uma de suas faces está quase completamente corroida, com apenas dois ou três sinais preservados. O outro lado, entretanto, mostra a parte final de 11 linhas, oito das quais estão muito bem conservadas. Grafada em caracteres cuneiformes, a escrita diplomática da época, a peša, embora pequena e mal preservada, faz referência ao tratado de paz egípcio-hitita firmado em 1269 a.C., após muitos anos de conflitos. A escrita cuneiforme foi inventada por volta de 3300 a.C. pelos sumérios e usada em todo o Oriente Médio até o século I da nossa era. Outras peças grafadas em cuneiforme já haviam sido descobertas anteriormente na Turquia e em Tell el-Amarna, a capital do reinado de Akhenaton (c. 1353 a 1335 a.C.). Ramses II casou-se com uma princesa hitita para fortalecer a paz firmada com o império da Anatólia central e assim poder concentrar-se na ameaça que surgia na Mesopotâmia, onde o império assírio despontava como uma grande força guerreira.



ANDARILHOSRetorna

HOME PAGEHome page