Descobertas Arqueológicas

AS GALERIAS Em 2002 foi desenterrada uma área em Gizé que foi entendida como sendo a aldeia dos operários que construiram as grandes pirâmides. Doze anos depois, em janeiro de 2014, em função de novas descobertas realizadas naquela área, os pesquisadores passaram a acreditar que tais estruturas, que haviam sido chamadas de "galerias", provavelmente foram usadas para abrigar tropas que poderiam ter participado de viagens ao Mediterrâneo oriental e, talvez, também tenham desempenhado funções de guardas de segurança para autoridades importantes que estivessem visitando Gizé. As construções tinham cerca de sete metros de altura e cada conjunto tinha pelo menos 34 metros de comprimento, de norte a sul.

OUTRO ASPECTO DAS GALERIAS Alguns artefatos encontrados, inclusive restos de carvão de cedro, zimbro, pinus e carvalho, todas madeiras importadas, sugerem que tropas que viajaram ao exterior usaram as galerias. O que toda essa madeira estaria fazendo em abrigos de trabalhadores comuns? se perguntaram os arqueólogos. Também foram encontrados mais de 50 exemplares de cerâmica num estilo empregado no Levante. Uma descoberta adicional que apoia a ideia de tropas no local é um osso de hipopótamo quebrado achado em 2012. No antigo Egito esse animal tinha que ser combatido porque devorava as colheitas durante a noite e as tropas eram responsáveis pela sua caça. Havia um ritual guerreiro no qual um hipopótamo capturado e amarrado era arpoado até morrer. A seguir a carne do animal, aparentemente bastante saborosa, era consumida pelas tropas nas galerias. Tal ritual poderia ter ocorrido em Gizé em um lugar público e o osso pode ser o resquício de um destes eventos. Outros itens da alimentação eram carne de cabras, de ovelhas, de bagres e oleaginosas. Cada galeria individualmente poderia abrigar cerca de 40 pessoas, confortavelmente, um tamanho razoável para um pelotão de soldados. Grupos desta espécie são representados em túmulos inúmeras vezes. Nas ilustrações uma representação artística de como seriam as tais galerias. O segundo desenho mostra a parte posterior delas com a parede traseira eliminada. Arqueólogos encontraram lareiras, cinzas e paredes negras, indicando que havia preparo de alimentos. Também é possível que os telhados fossem planos, dando aos trabalhadores espaço adicional para trabalho e armazenamento, bem como um lugar para dormir nas quentes noites de verão. Fotos AERA Inc.

As descobertas feitas nas galerias deixam uma pergunta no ar. Se as tropas estavam estacionadas lá, onde os construtores da pirâmide, os próprios trabalhadores, viviam? Existem duas possibilidades: viviam em rampas da pirâmide, enquanto os monumentos estavam em construção, ou nas pedreiras em moradias simples. Em 2004 foi escavada uma área antiga de descarte de lixo no lado norte da Grande Pirâmide de Kéops. Não foram encontradas moradias, mas sim cordas de diversas grossuras, tiras de tecido, ossos de gado, fragmentos de madeira e parte de um martelo, artefatos que parecem ter sido dos operários.




ANDARILHOSRetorna

HOME PAGEHome page